16/07/2012

Onde não ficar em São Paulo: Hotel Formule 1

Quando eu estava pesquisando os hotéis que estavam na lista de sugestões da ABRAJI, para ficar durante os três dias do congresso, encontrei os mais diversos tipos e preços. Mas, no final das contas, resolvi ficar onde a maioria dos estudantes que vieram comigo ficariam: no Hotel Formule 1, no bairro Jardins. A única coisa que eu sabia do local é que ele era super simples, até aí tudo bem, ninguém estava indo para passar muito tempo no hotel, era só um lugar pra dormir e pronto...
Eu já tinha ouvido dizer que o hotel estava mais para albergue, mas vou listar algums considerações para que eu simplesmente não indique o hotel para ninguém:
- Tivemos problemas com a reserva realizada através do site. Chegando ao local, tínhamos que ter em mãos o número da reserva (o que localizei pelo e-mail) e mesmo com este número, disseram que eles tiveram alguns problemas com reservas feitas pelo site no final do mês de junho. Conseguimos resolver e ficamos com um quarto no 18º andar, o nº 1857.
- Mesmo que você indique os dados do cartão de crédito pelo site, tem que pagar efetivamente quando chega ao local. Na recepção, informaram que o procedimento é padrão e que só é cobrado através do site caso o cliente não cancele e não compareça.
- Os quartos podem ser divididos em até três pessoas e são nesse formato padrão: uma cama de casal e um "beliche" de solteiro em cima. Não existe a possibilidade de pedir três camas separadas e o problema é que o apartamento é tão pequeno, mas tão pequeno que é impossível circular nele sem se bater em algo.
- Só disponibilizam um cobertor de solteiro, mesmo considerando a possibilidade de três pessoas dividirem o quarto. Ainda bem que levamos nossos cobertores, por conta da viagem de ônibus.
- Não tem secador nos quartos. Se você precisar utilizar, tem que pedir na recepção e pode ficar com ele por até duas horas, se passar disso, paga R$5 por hora.
- O banheiro é todo separado. O vaso sanitário fica numa entrada no lado da porta, a pia de frente pra cama e o chuveiro num cubículo na lateral. Muito complicado.
- Os quartos não tem armários, só cabides. Por isso, acaba sendo impossível desfazer as malas. Você tem que se virar num espaço realmente pequeno e apertado, que só conta com uma mesinha e cadeira abaixo da janela.
- Apenas duas toalhas de banho estão disponíveis no quarto, mesmo considerando a possibilidade de dividí-lo para três. Por sorte, levei minha toalha de banho comigo, mas toalha de rosto não tínhamos nenhuma!
- O hotel só disponibiliza dois sabonetes em barra. Nada de toucas de banho, nada de shampoo e condicionador.
Foto da vista do nosso corredor, no 18º andar.
- Faltou luz duas vezes enquanto estávamos no hotel. Uma vez no sábado, por volta de 01h e pela manhã, lá pelas 10h. Tudo parou de funcionar, acho que eles não tem geradores ou os geradores estavam com problemas (pense em 19 andares sem elevador! Ainda bem que não tive que descer nem subir nesse horário).
- A internet wi-fi não é de graça. Paga-se R$3 por 24h de funcionamento, com um cartão que deve ser comprado na recepção. Algumas pessoas me disseram que nos apartamentos do meio a internet pega bem, mas nos apartamentos que ficam nas extremidades ela é bem precária.
- O café da manhã não está incluído no preço. Para entrar no salão do café, temos que comprar uma ficha na recepção, por R$10. Até vale a pena, porque o café é simples, mas é bom (tem café, leite, achocolatado, iogurte, mamão, bolos simples, pão integral, pão de trigo, queijo, presunto, manteiga, geléia).

O preço, claro, é consideravelmente ótimo. As diárias saem por R$140 e se você dividir com mais duas pessoas pode pagar até R$46,65 por dia (sem contar o café da manhã). Mas, fiquei realmente surpresa, porque quando fui pra Buenos Aires no ano passado fiquei em albergue e o serviço foi bem melhor, o quarto tinha muito mais espaço, o café da manhã estava incluso e não pagávamos por internet...

Beijos!


ATUALIZAÇÃO: As meninas deixaram comentários ótimos aqui no post, lembrando de mais dois detalhes - o cartão para entrar no quarto desmagnetiza super rápido, mesmo você não deixando perto de celular ou moedas e no quarto não tem frigobar (se você precisa comprar algo tem que descer até a recepção, nesse quiosque da foto)...

17 comentários:

  1. Credo! Que horrível! Já sabemos onde NÃO ir em São Paulo então...

    ResponderExcluir
  2. nossa que horrível, acho que pelo menos o café devia ser incluso neh
    beijos
    http://lolamantovani.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. E mais um detalhe. Nos quartos não tem frigobar! Se quiser uma água tem que comprar lá embaixo na recepção!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela dica! Já incluí nas atualizações, esqueci desse detalhe hehe :) Beijos

      Excluir
  4. Outra coisa, o quarto é tão pequeno que se você levar comida pra comer no quarto vai dormir cheirando a comida. E o cartão pra abrir o quarto desmagnetiza super fácil!

    ResponderExcluir
  5. Já ouvi muita gente falar desse hotel, mais eu nunca fiquei.. Sempre fico em um nos Jardins!
    Bjs, Gabi.

    ResponderExcluir
  6. Sério mesmo? Nunca me hospedei no Formule do Jardins, só no do Morumbi e achei ÓTIMO. Será que não é padronizado?

    www.romariomarques.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente não sei, Romário. Eu não esperava nada genial, mas me decepcionei muito! :/ Beijos.

      Excluir
  7. Nossa que experiência horrível... Eu nunca fiquei nessa rede de hotéis para te contar se são todos assim.
    Bjus

    Rafa
    Rafaelando.com

    ResponderExcluir
  8. O preço da diária é ótimo, mas algumas coisas são absurdas, como cobrar pela internet wi-fi, meu deus! E essa de não ter cobertor pra todo mundo? Uma falta de respeito!
    Beijinhos

    www.hiperbolismos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Bom, no mês de junho me hospedei no hotel castelmar em Fpolis e tbm foi o terror. O quarto cheirava a mofo. Havia poeira acumulada nas lâmpadas das luminárias. Tinha "carpet" velho, sujo e mofado no quarto. Não tinha secador. As toalhas eram umas lixas de 5ª categoria. E nem a TV funcionava (O CONTROLE SUMIU), a maçaneta da porta estava quebrada. E etc. etc. Um horror!!! E o preço era bem salgado. Mas esse hotel ai, regulando até cobertor. Que feio!! Melhor sorte da próxima.Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, que tenso! Eu passo mal só de pensar em carpete! hahah
      Obrigada pela dica :) Beijos

      Excluir
  10. Oi Thayse,obrigada pela visita!

    Poxa que barra esse hotel!
    Sei bem como é horrivel vc se hospedar em um lugar e passar por esses apertos. Já aconteceu comigo tb na Bahia =/ O hotel era mega distante de tudo e eu e meu marido perdemos um passeio da agencia de viagens pq a recepcionista esqueceu de nos avisar.

    Mais sorte para nos na próxima vez! :)

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Eu passei 1 noite nesse hotel, não achei tão ruim não, convenhamos não é hotel com estrelas, mas quando se quer economizar e ficar uns 2 ou 3 dias, dá para encarar, é claro que não tem os luxos e também não cobra por isso, é preciso considerar, ou se quer luxo ou economia.

    ResponderExcluir
  12. Meu Deus!
    A diária é barata mas não vale, né?!
    Pagar por internet wi-fi (que hoje em dia todo mundo precisa, é quase como um serviço essencial)e imagina se dá um fome no meio da noite!? Tem que descer os (no teu caso) 18 andares de elevador (se tiver luz haha) pra ir pegar no quiosque! Nossa...

    ResponderExcluir


Obrigada por visitar o Brilho de Aluguel!

Os comentários estão sendo moderados, mas responderemos assim que possível.

Dúvidas, sugestões ou reclamações? Envie um e-mail para blogbrilhodealuguel@gmail.com

 
Brilho de Aluguel © 2010 - 2017 | By Thayse Stein