19/01/2013

Dica de livro: Moda e Comunicação

Ano passado, aqui no blog, tivemos apenas dois posts sobre dica de livro (aqui e aqui). Espero que esse ano seja diferente, quero ler mais livros sobre moda e indicar aqui pra vocês. Encontrei esse livro na biblioteca da UFSC no final do ano passado, mas só comecei a ler no início de janeiro... Ele mistura as duas áreas em que pretendo me formar (Design de Moda e Jornalismo) e embora muita gente ache que sou maluca por fazer duas faculdades, que não vale a pena ou não entende como posso relacionar as coisas, persisto na ideia de que é super possível dar certo!
O livro possui 267 páginas, divididas em 7 capítulos.
O título original é Fashion as Communication e a primeira edição foi publicada em 1996 (a tradução é da Lúcia Olinto e a edição que eu li é de 2003, publicado pela editora Rocco). Malcom Barnard, o autor, é professor de História e Teoria da Arte & Design na Universidade de Derby, Grã-Bretanha.
 Na introdução, além de fazer um apanhado geral dos capítulos, o autor discute a questão do inconsciente coletivo que costuma tratar moda, indumentária e tecidos como engano e trivialidade. É bem interessante pensar sobre essa ambiguidade que a moda desperta... idolatrada, seguida, presente em tudo e ao mesmo tempo negada e mal vista.
No primeiro capítulo, o autor passa por etimologias e definições de moda e indumentária, relacionando moda com política (fashion remete a faction - moda e facção). O autor, citando Simmel, declara que duas tendências sociais são fundamentais para o estabelecimento da moda: necessidade de união e o anseio pelo isolamento, "adaptação à sociedade e afastamento individual de suas exigências". Barnard diferencia indumentária fixa/antimoda (em sociedades tradicionais) - exemplificando com a túnica da coroação de Elizabeth II, em 1953 - figura 1, e de moda (sistema breve de substituição) - exemplificando com a "linha tulipa" do mesmo ano, de Christian Dior - figura 2.
No segundo capítulo, moda, indumentária, comunicação e cultura são discutidas, com ênfase nas questões ideológicas, sempre embasadas por autores como Marx e Engels. Os punks - figura 3, são usados como exemplo para a agressão ideológica aos valores estéticos das classes dominantes e do capitalismo.
No terceiro capítulo o autor fala sobre funções da moda e da indumentária (como proteção, lazer, pudor, status, ritos sociais, etc). No quarto capítulo, o significado é discutido como sendo exterior e inerente a roupa (aqui também são usadas explicações semiológicas, exemplificadas com a figura 5 e suas interpretações possíveis), o autor também usa o exemplo do New Look - figura 4, suas apropriações e adaptações por mulheres da classe trabalhadora. Nesse capítulo ainda fala-se sobre sintagma (diferença entre coisas que podem vir antes ou depois umas das outras) e paradigma (diferença entre coisas que podem substituir umas às outras) - figura 6.

No capítulo cinco, o autor foca em moda, indumentária e reprodução da sociedade. O feudalismo é analisado - figura 7, as roupas daquela época são vistas como simples e positivamente estáticas, os trajes permaneceram em grande parte imutáveis desde os tempos romanos. No capitalismo - figura 8, torna-se possível, tanto para a moda quanto para a indumentária, serem usadas no intuito de construir, sinalizar e reproduzir o desejo de mobilidade social/identidade entre as classes. No capítulo seis, moda, indumentária e revolução social são abordados através da resistência, do consumo passivo e ativo. O jeans - figura 9, é usado pra exemplificar os valores democráticos, ele é visto como uma tentativa de recusar toda a identificação de classe. O autor analisa o anúncio da Principles - figura 10, que coloca a mulher no papel de voyeur (ocupando uma posição "tradicionalmente" masculina). No último capítulo, o autor analisa moda, indumentária e pós-modernidade. A propaganda dos espartilhos - figura 11, é observada por Barnard "sem nada que de algum modo se refira ao gênero de valores que pode estar envolvido no consumo desses produtos". O autor também analisa o uso do salto agulha - figura 12, intertextualmente, suas relações com diversos discursos (associado ao glamour e a rebelião).
Ufa! Falei demais, né? Mas o livro pincela sobre tantos temas, que fica difícil ser concisa! Alguém já leu ele? O que acharam? Achei pra vender na Saraiva, na Americanas e na Estante Virtual. Espero que tenham gostado do post. Beijos.

12 comentários:

  1. Adorei esse livro, eu quero fazer jornalismo e queria fazer moda mais esse é um projeto que acho que não daria tão certo, vou procurar esse livor, talvez ele me faça mudar d ideia.
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi Thayse,
    Adorei a dica de livro. Hj comprei 3 livros, mas nenhum de moda.
    Beijos 1000 e um ótimo final de semana para vc.

    GOSTO DISTO!

    ResponderExcluir
  3. Nossa, deve ser bem puxado fazer duas faculs! Mas se vc realmente gosta é o que vale, né!
    ótima dica de livro! Quero ler muito este ano!

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá Thayse

    É engraçado como as pessoas tem pré concepções sobre alguns assuntos, e como vc citou, jornalismo e moda. Não percebem a similaridade que existe. Outros ainda colocam a moda como assunto única e exclusivamente como frivolidade feminina, sem entender quão importante é no contexto social. A moda conta a história de um povo. Sou fascinada por este assunto.
    Não conhecia este livro e adorei a dica, vou comprar.

    AMIGA da MODA by Kinha

    ResponderExcluir
  5. Obrigada ♥.♥

    Adorei a dica! Ainda não conhecia esse livro <3

    Instagram: ferdallan
    http://www.leferblog.com

    ResponderExcluir
  6. Eu não sei se comentei mas eu estudo Vestuário no IF aqui de Brasilia e sempre pego livros sobre o assunto na Biblioteca linda de lá, este é o próximo da minha lista, estou apenas esperando voltar de férias. Já deu pra ter uma ideia bem legal de como ele é.

    ResponderExcluir
  7. Eu confesso que não conhecia esse livro, mas tem tudo a ver com o que quero para meu futuro, vou ir atrás!

    Tô seguindo, se der, passa lá no meu também.
    http://heyealaysa.blogspot.com.br/
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Nossa, esse livro seria bom pra quem quer puxar mais para o lado informativo, tipo, o jornal. Interessante!
    eeeeeeeei, foi um prazer receber você no meu blog, obg pela visita, Volte sempre tá?
    Aos Dezesseis Anos - Blog | Twitter | PageFB

    ResponderExcluir
  9. Esse livro é história mesma caros amigos u.u

    Faz uma visita ?
    http://peoplecrazystipoeu.blogspot.com.br/
    se seguir me avisa para eu poder seguir devolta ok ?

    ResponderExcluir
  10. Arrasou na postagem!
    Esse livro parece ser incrível!! #toplist

    Da uma passadinha que o BT está todo especial essa semana!!
    ;) aahh deixe seu recadinho, adoooramos !

    ResponderExcluir
  11. Tá aí um livro que eu gostaria muito de ler!
    Ótimo post :)

    http://rebucomcafe.blogspot.com.br

    beijinhos

    ResponderExcluir
  12. Nossa, gostei dessa fica. Acho que vou comprar esse livro!
    Beijos,
    Lala Mendes - Mesa de Pentear

    ResponderExcluir


Obrigada por visitar o Brilho de Aluguel!

Os comentários estão sendo moderados, mas responderemos assim que possível.

Dúvidas, sugestões ou reclamações? Envie um e-mail para blogbrilhodealuguel@gmail.com

 
Brilho de Aluguel © 2010 - 2017 | By Thayse Stein