26/06/2014

O caso Primark: Quem faz suas roupas?

Oi, gente! Sei que ando sumida e devendo resposta pra vários comentários, mas prometo que em breve vou me dedicar mais para o blog. Bom, hoje eu vim falar de um assunto polêmico que tem sido muito compartilhado nas redes sociais: o caso do pedido de ajuda num vestido da Primark.
Todo mundo provavelmente já ouviu falar na Primark, né? É uma rede de lojas de departamento que está presente na Europa. Lá, eles vendem roupas e acessórios lindos e super baratinhos. Porém, segundo os sites de notícia tem divulgado, Rebecca Gallagher, uma jovem do Reino Unido, encontrou há alguns dias uma mensagem, quando foi em busca das instruções de lavagem do vestido floral que havia comprado por apenas 12 euros. “Obrigados a trabalhar durante horas a fio”, lê-se na etiqueta.
Rebecca tentou contactar a empresa, mas foi por conta da explosão na mídia que a Primark reagiu: “Ficaríamos gratos que a cliente nos enviasse o vestido para podermos investigar como é que essa etiqueta foi adicionada e se há problemas que precisem de ser investigados”. Nesse mesmo dia, a Primark acabaria por emitir um comunicado, recordando que a empresa é membro da iniciativa de comércio justo (Ethical Trade Initiative). 
Apesar das declarações da Primark, este caso lembra o acidente que aconteceu há pouco mais de um ano, quando a queda de um prédio em Bangladesh vitimou mais de 1000 trabalhadores da Primark e outras marcas de moda. Em declarações à Vogue britânica, a Primark alega ter sido "a primeira empresa do Reino Unido a assinar um acordo de segurança para Bangladesh em colaboração com outras marcas, para conseguir mudanças substanciais a longo prazo naquele país".
Depois desse bafafá, outra consumidora apareceu mostrando uma peça que comprou na loja, também com uma mensagem na etiqueta (dessa vez, dizendo: "fábricas com condições degradantes"). Mas, como a única manifestação da empresa foi dizer que está investigando o caso, não dá pra saber o que realmente aconteceu.

Essas notícias revelando condições de trabalho precárias dentro de fábricas de moda é frequente, infelizmente. Só que com os nossos hábitos de consumo e considerando os altíssimos impostos que pagamos nas peças, muitas vezes acabamos optando por comprar em lojas mais baratas. Bom, queria levantar essa discussão aqui com vocês e saber o que pensam sobre esse caso. Beijos!


29 comentários:

  1. Wow, que bomba! Confesso que fiquei até mesmo assustada quando li as mensagens nas etiquetas. Infelizmente sabemos que isso acontece mas seria melhor se não acontecesse, né?! :/

    Beijos,
    Ana do www.doladodecamoda.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Meu Deus! Essas mensagens são meio assustadoras... Eu adoro a Primark e faço imensas compras lá mas o que será que está por de trás de tudo isso né?

    Beijos e boa semana *

    http://marylin-menezes.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  3. Eu vi e fiquei chocada. Sabemos que acontece em muitas marcas e lojas, espero que resolvam e não abafem o caso, mais uma vez.

    bjs Má
    www.2betrend.com.br

    ResponderExcluir
  4. É interessante o fato de que as etiquetas não vieram nas nossas roupas, mas ainda sim ficamos chocados, e com certeza ficaríamos muito mais se nós as tivéssemos encontrado. O pior mesmo é que isso com certeza acontece em lugares por aqui, onde a gente vive mesmo, mas dá mais atenção pra esses super casos que a mídia explode. Eu espero mesmo que eles resolvam essas formas de trabalho e as deixem decentes para quem exerce as funções dentro das fábricas, porque sempre imagino zilhões de crianças e mulheres amontoadas num lugar apertado, trabalho por mais de 12 horas, exaustos e com fome, e isso é horrível. Eu não quero comprar roupas que são feitas assim.

    La Diabolique - Fan Page - SORTEIO Varsity Jacket

    ResponderExcluir
  5. Oi Thayse!
    Nossa, que situação, hein?
    Isso tudo é muito complicado... como saber se o que usamos é ou não produzido por mão de obra quase que escrava? Ás vezes é bom esse tipo de explosão na mídia, pra sabermos mais a respeito, e tomarmos conhecimento das marcas que utilizam esse tipo de mão de obra em suas linhas de produção...
    Bjus, adorei o post!
    Paty Algayer - magicaliteraria.com

    ResponderExcluir
  6. Eu já muitas matérias do tipo e é desagradável saber que a pessoa ganha menos de 1 dólar pra produzir tantas peças em tempo curto e sofrendo com a situação precária. O importante agora é pensar em como você vê essa roupa eu sei que eu e muita gente compra essas roupas pelo preço, mas temos que pensar no uso consciente da peça e não comprar por comprar e desvalorizar aquele trabalho.
    beijos!

    http://www.pamlepletier.com/

    ResponderExcluir
  7. Nossa que mensagens assustadoras! Fiquei chocada
    Beijos Jéssica R. Coelho

    ResponderExcluir
  8. Meu deus, que coisa horrível, a gente achando que está vivendo num mundo diferente, pelo menos em alguns quesitos, mas tem muita coisa podre como a escravidão que está mais do que presente e a gente não sabe :\

    Além de adorar passar por aqui sempre, passei também pra mostrar pra você uma linha de cosméticos super da hora, que é a Hinode, já testei vários produtos de limpeza de pele e super recomendo, passa na lojinha virtual da minha mamãe, tem váaarios produtos e são realmente de qualidade ;)

    LOJINHA AQUI!!!

    ResponderExcluir
  9. que horror!!!! Não tinha visto... Em SP no Bom Retiro tem muito isso!!! Condições de trabalho desumanas!!!! E o pior, é que quando consumimos fast fashion, patrocinamos esse absurdo!!!!

    ResponderExcluir
  10. Oi querida, estou aqui de boca aberta lendo esse post.
    Apesar de saber que tem empresas que são desonestas com seus funcionários vivendo em péssimas condições e trabalhando em regime de escravidão.
    Por isso os preços baixos das roupas, não é mesmo?
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Nossa, não sabia desse ocorrido. Bem semelhante ao da Zara né ... Acho que por isso essas lojas conseguem vender bem baratinho, pois expõe seus funcionários a situações degradantes ao ambiente de trabalho.
    Prefiro não comprar nesse tipo de loja ... sei lá, é uma forma de "protesto"

    Tem post novo lá
    http://pracurtirmoda.blogspot.com.br/

    Instagran http://instagram.com/keith_ellen

    Kisses Kisses
    Bye Bye ღ

    ResponderExcluir
  12. Fiquei sabendo desse ocorrido pelas redes sociais. Um absurdo! Quem fiscaliza isso?! Aposto que outras lojas grandes também tem esse absurdo :(

    www.perspectivacriativa.com

    ResponderExcluir
  13. Já tinha visto este e outros casos e acho que, apesar de parecer absurdo, pode estar acontecendo por aí.
    Outra coisa que penso é que não deve ocorrer apenas em lojas que vendem produtos com preço justo. Acho que outras grandes marcas por aí, que vendem seus produtos com preços altíssimos, também devem usar da mão de obra escrava (parece exagero usar a palavra 'escrava', mas pessoas que trabalham exaustivamente e em condições precárias são escravas), até porque isso seria ótimo para as lojas: mão de obra barata e lucros altíssimos!
    Ok, acho ruim pensar assim, mas também acho que pode ser verdade :/

    Respondi o meme! :D

    Beijos,
    Nika.
    Nk Cherry

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, isso acontece muito! A Bárbara lembrou aqui do caso da Zara, que aconteceu recentemente mas logo foi abafado e ninguém sabe no que resultou. Sem contar Le Lis Blanc e outras que são MEGA caras e que devem colocar lucros absurdos e abusivos, considerando que usam desse tipo de trabalho... Se isso for verdade, tem que ser resolvido o quanto antes, todo mundo tem que cobrar respostas, é algo primordial. Beijos <3

      Excluir
  14. Gente eu fiquei chocada lendo esse poste, gente achei um grande absurdo. Não sabia do ocorrido.
    http://pensamentosdefabs.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. nossa mas será que tudo isso é verdade? seria uma pena ne!

    Passa no meu blog quando der, um beijo, seguindo ♥
    http://kellencoliveira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente, não dá pra saber, Kellen! Vamos ver no que vai dar, se vão realmente esclarecer as coisas e resolverem a situação. Beijos <3

      Excluir
  16. Nossa, eu fiquei impressionada. Não poderia imaginar tal situação vinda da Primark, que é uma marca tão conhecida na Europa. Infelizmente as grandes empresas só querem saber de ganhar dinheiro.
    Beijinhos
    :)

    http://cariocaemportugal.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  17. Já aconteceu a mesma coisa com grandes lojas daqui também, como a Zara por exemplo, não sei se lembra. O foda é não ter provas concretas de como isso foi parar ali. Não to duvidando que um trabalhador de lá tenha feito isso, mas deve ser feita mesmo uma investigação, nunca se sabe se alguém pôs ali só pra criar polêmica.
    Muita gente tem me atacado no blog dizendo que financio o trabalho escravo na China, e olha to cansada disso. O que acontece na China é só classificado por muitos como trabalho escravo devido às pessimas condições oferecidas por lá e por ter um dos menores salários do mundo. Mas o que classifica trabalho escravo é ser compulsório, obrigatório, e ninguém ta ali obrigado. Estão ali por que precisam do dinheiro. Infelizmente, se for comparar é o que acontece aqui no Brasil na maioria dos casos, é raro se ver um salário justo. Porém, as condições aqui são bem melhores e o salário é mais alto, se compararmos. Mas é a mesma situação, só quem não quer não vê. Enfim, vamos aguardar os proximos capítulos desse caso, tô curiosa. Principalmente por ser essa loja tão fofa.
    Beijos,
    Tá Tudo Caro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Justamente, Bárbara. A Zara é espanhola e o dono é um dos homens mais ricos do mundo. É incrível como essas histórias desaparecem e ninguém se importa mais ou quer saber o desenrolar das coisas. Precisamos cobrar respostas. Concordo com você, na China, as coisas funcionam de outra maneira e as pessoas têm que trabalhar muito, embora seja uma coisa cultura, é complicado interferir nisso. Só acho que direitos e condições de trabalho NUNCA podem ser deixados de lado. Porém, não é só lá, né? Taiwan e Vietnam, por exemplo, tem fábricas de grandes empresas do mundo todo. Tem documentários bem interessantes sobre isso, mas poucas pessoas têm acesso e essas informações não divulgadas, discutidas e questionadas :/ Mas sim, vamos aguardar pra saber o que virá! Beijos <3

      Excluir
  18. Quando vi essa reportagem, foi um soco no estomago porque sou eterna apaixonada pela Primark da Oxford Street haha. E sério, sou totalmente defensora dos direitos humanos e trabalhistas, que o Estado tem que proteger a dignidade da pessoa humana e que isso que fazem, quando comprovado mesmo, é extremamente ABSURDO. Estou esperando o desenrolar dessa história, porque é algo que me interessa muito.
    A unica coisa que a gente não pode é generalizar, porque vivo ouvindo comentários que essas roupas mais baratas são, em grande parte, mas acessíveis por isso. Acontece que no início desse mês a Schutz passou por uma situação parecidíssima, mas que foi mal mal notificado. E olha, de acessível, aquela loja não tem NADA. HAHHAH No máximo só o ar condicionado que sai da loja quando você passa em frente, fora isso, nada.
    Enfim, temos que aguardar as investigações!

    Um beijo,
    Isabella
    The Urban Trends

    ResponderExcluir
  19. esta é uma situação muito grave, é bom que seja averiguado o que se está realmente a passar. é preciso ter condições de trabalho!

    http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/

    ResponderExcluir
  20. Eu ainda não tinha ouvido falar, acredita?
    Fiquei chocada, espero que seja investigado isso.
    Beijos!
    http://cookierobsten.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Thayse, é preocupante! Há quem diga que quem consome nessas lojas é alienado, mas acho que é isso que vc disse. Nem todo mundo pode comprar em lojas mais caras onde, supostamente, esse tipo de prática n exista... Outro dia li uma matéria em que citavam várias marcas de renome e caríssimas que também tem prática de trabalho escravo em suas fábricas. Acho que é uma discussão que tem que ser motivada por nós, consumidores, mas definida pelos governos. O que dificulta muito a resolução, pelo menos aqui no Brasil, onde contar com ações do Governo é como se fosse lenda...

    Bjs


    www.digoporai.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, Flávia. Não só uma questão de ser mais barato pra produzir, muitas empresas aproveitam pra lucrar MUITO em cima de trabalhos assim. Muita coisa precisa ser revista e se esse caso for verdade, tem que ser resolvido imediatamente. Ninguém quer comprar roupas que sejam feitas assim! Beijos <3

      Excluir
  22. Não só o trabalho escravo, como também as marcas que testam produtos em animais. É muito importante nos conscientizarmos e termos a iniciativa de abordar esse tipo de assunto... Porque algumas pessoas simplesmente não sabem a respeito disso, mas porque não se informam. Quanto mais esse assunto se espalhar, mais as chances de alguma coisa REALMENTE mudar nesse mundo.

    Adorei o post, parabéns.
    Beijos
    http://m4yparadise.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  23. nossa, um absurdo isso né!
    também já dá para desconfiar - quem vende roupas com preço final de uma libra?!
    é surreal né?!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  24. Apenas li esta noticia há poucos dias, opah isto é ridículo acho que deviam investigar estes casos.
    http://retromaggie.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  25. Acho que não adianta comprar peças mais caras, porque muitas das "marcas caras" também estão envolvidas com trabalho escravo, como por exemplo a Le Lis Blanc e a Cori. Acho que imaginar os motivos de uma peça custar tal preço não adianta nada. O importante é ter alguma prova, como é o caso da Primark, para que as autoridades possam investigar.
    O que me revolta é que todas as marcas dizem não saber das irregularidades. Porém, acho que a medida que uma produção cresce, a fiscalização deve crescer junto. Senão, como é que fica? Acho que responsabilidade todas tem e deveriam assumi-las, invés de ficar justificando.
    Uma Questão de Estilo

    ResponderExcluir


Obrigada por visitar o Brilho de Aluguel!

Os comentários estão sendo moderados, mas responderemos assim que possível.

Dúvidas, sugestões ou reclamações? Envie um e-mail para blogbrilhodealuguel@gmail.com

 
Brilho de Aluguel © 2010 - 2017 | By Thayse Stein