13/02/2016

Falando sobre memórias: devaneios odontológicos


Olá, Bernardo,
Como vai?

Ontem lembrei de você quando eu estava prestes a dormir, quase entrando no mundo dos sonhos. E aí, junto com uma das únicas lembranças que tenho de você, veio a memória do cheiro de pastas Tandy, que ficavam todas guardadas numa despensa anexa a nossa sala, num armário aberto de madeira, onde todos íamos quando a professora não estava, pra degusta-las. Você era esguio e atrapalhado, sentava na frente porque não conseguia enxergar direito, mas o que mais me marcou foi aquele dia da escovação de dentes coletiva, logo após o lanche da tarde, em que íamos todos para aquele banheiro acompanhados da professora, que tinha que dar conta da sala inteira.
Vi você fazendo o movimento com a escova para cima e para baixo repetidamente sem cessar, apenas nos dentes da frente e eu te disse: "tem que escovar lá atrás também". Acho que você ficou muito nervoso porque alguém falou com você naquele momento de tanta concentração, não entendeu ou ficou assustado porque nem éramos amigos e eu estava tomando liberdade pra te direcionar a palavra. Mas entenda, eu era exatamente assim: impulsiva, adorava conversar com qualquer pessoa que aparecesse e fazer um milhão de perguntas. E aí, como você não me deu bola, eu chamei a professora e falei como se o mundo estivesse acabando: "ele só escova os dentes da frente!". Acho que nós nem tínhamos muitos dentes naquela época, mas a professora te repreendeu e disse que você estava fazendo aquilo da maneira errada. Não lembro o que aconteceu depois e nem sei se alguma outra vez cheguei a falar com você.
O que houve, pouco mais de 10 anos depois e que fez com que eu lembrasse do acontecido com mais vivacidade foi o seguinte: fui retirar o aparelho ortodôntico, mesmo a contragosto do dentista - porque sabia que aquilo não era mais pra mim e as coisas que mais me incomodavam eu já tinha resolvido - e ele me deu a dramática notícia. Eu precisava marcar uma consulta com outra dentista para resolver um problema de cárie. Adivinha onde? Entre dois dentes da frente (mais para lateral do que pro centro). Eu, que usei aparelho por quatro anos, quando fui tirar, só tinha esse único problema. Lá estava ela, a cárie na pequena curva do dente se escondendo atrás dos fios do aparelho, muito difícil de notar. Segui os procedimentos recomendados e fui a dentista indicada, então. Ela foi extremamente grossa e veio com um sermão do tipo "se, nós, dentistas, quiséssemos deixar, você ficaria com uma cárie horrível bem aí pro resto da sua vida". Claro, nem preciso dizer que foi uma daquelas experiências que ninguém quer lembrar. E até hoje tenho a sensação que foi a pior restauração já feita na história da humanidade.
Considerando que mais tarde senti a necessidade de fazer clareamento, aquela restauração vai me irritar pro resto da vida. Não tem jeito. Daí, na noite de ontem, quando o sono ia chegando como numa dose de anestesia geral e ia tomando conta dos sentidos, lembrei desse momento no banheiro do prézinho, que quase completa vinte anos. Não sei por onde você anda, não sei o que aconteceu com os seus dentes, mas queria te dizer que, muito além de te denunciar, naquele momento, eu queria provar que estava certa. Tantas vezes passei por isso mais tarde, querer ser a dona da razão permeou muitos momentos da minha vida. E aí, por ironia do destino, me coloquei em diversas situações que geraram a consequência, que fez com que eu pagasse a minha língua (ou meus dentes, neste caso). Tive um problema relacionado a falta de cuidados que apontei, acusei e julguei em você naquele momento. E quantas vezes repeti esse comportamento ao longo da minha adolescência e começo da vida adulta? Perdi as contas.
Talvez eu tenha lembrado desse acontecimento por ter me marcado fisicamente, junto com essa memória aleatoriamente selecionada pelo meu cérebro, das coisas que vivi na infância. E aí, lembrei seu nome, lembrei vagamente do seu biotipo e tudo parece ter sido um sonho... E provavelmente essa lembrança não está com você, pode não ter passado nos seus sistemas randômicos de gravação de momentos, e nem com a professora, que viveu diariamente essas situações naquele banheiro enquanto auxiliava mais de uma dezena de alunos a escovar os dentes, ao longo de toda sua carreira como profissional. Por isso, nem é uma questão de te pedir desculpas, que inclusive é minha especialidade. Eu podia simplesmente não me meter na sua vida, mas cara, você estava fazendo aquilo errado. Talvez eu fosse uma boa pessoa e quisesse te ajudar, mas não sabia como.
A questão é só pra realmente me dizer, me lembrar, que existem vários jeitos de se fazer uma coisa quando se tem uma intenção; e que você tem que cuidar sempre mais de você mesmo, cuidar por ter certos princípios e achar facilmente o defeito no outro e em você, apenas deixar acontecer, relaxar demais, enquanto policia a vida alheia. A cárie foi só o efeito de um problema de descaso, ela poderia nem ter aparecido, mesmo o problema existindo. Mas, ela ali, surgindo e aparecendo cada vez mais, crescendo e fazendo o estrago, é mais significativa, é quando a gente enxerga que havia um problema e ele, de repente, floresceu. Com o aparecimento, ele incomoda, ele gera desconforto, ele demonstra que fomos relapsos, ele é uma consequência e uma verdade. Não dá mais pra esconder ou esquecer.
Se eu pudesse te dizer algo, caso isso fizesse sentido e você por um acaso recordasse ou se importasse com isso, te diria que eu errei muito durante a minha vida ortodôntica. Te diria que tudo bem, porque aqueles eram apenas dentes de leite.

13 comentários:

  1. Amei essa analogia que você fez entre o seu problema com a cárie e o sermão que você deu no menino na infância, muitas vezes a gente tenta corrigir nos outros algo que não está certo na gente também. Na maioria das vezes nem temos consciência disso e fazemos com boa intenção mesmo.
    Beijos
    Infinita Feminice

    ResponderExcluir
  2. Nossa que lindo, amei.

    http://alinesecretplace.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Gente,que legal essa analogia!
    Muito criativo!
    Um beijo
    http://www.blogandocomadeni.com.br/

    ResponderExcluir
  4. O que mata é demorar a ir atrás da correção de certos problemas! Eu mesma já me lasquei por demorar demais uma vez rssss

    ❥Blog: www.amigadelicada.com

    ResponderExcluir
  5. Adorei a forma como tu colocou teus sentimentos em palavras, Thayse. Nesse horário que tô quase-dormindo mas ainda um pouco acordada minha cabeça se enche de memórias (algumas significativas, outras nem tanto) e consegui entender um pouco do que tu deve ter sentido.

    Sei que não é bem esse o tema do texto, mas me deu uma raivinha o jeito com que a dentista te tratou. Quando você falou com Bernardo, era uma menininha no pré fazendo coisas que nem sabia direito. Essa dentista, por sua vez, é formada e sabe (ou deveria saber) que não é assim que se trata as pessoas.

    Sou acadêmica de odonto e vejo diariamente situações assim. Cuidar dos dentes com o aparelho é extremamente difícil e o paciente deve ser incentivado, não desestimulado com "broncas".

    Anyway, amei o texto. <3

    ResponderExcluir
  6. Ai, só de ter lido que fez restauração de cárie no dente da frente, já me deu nervoso e já senti dor. Nossa, ninguém merece dentista grosso, dá vontade de dar uns tapas e falar "vem cá, to pagando pelo seu serviço, faz isso direito, não tenho culpa se seu dia tá indo mal" né? Mas ok. É com os nossos erros ou erros dos outros que a gente aprende. Sei bem como são essas memórias, isso acontece comigo quase sempre. Ontem mesmo me peguei lendo uma conversa de 2013 desde o começo, bem bizarro ver o quanto eu era bobinha a uns anos atrás, mas ok. Hahahaha!

    Beijos!
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
  7. Meu Deus, preciso marcar dentista e fico enrolando, me irrita tanto.
    Tenho trauma, já usei aparelho duas vezes e arranquei 13 dentes, os meus de leite não caiam sozinhos, um inferno e um trauma :/
    Beijos
    www.estilogisele.com.br

    ResponderExcluir
  8. posso confessar que tenho medo de dentista? haha

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  9. Well done! I absolutely had fun reading this. Happy Monday!

    xoxo;
    STYLEFORMANKIND.COM
    Facebook
    Bloglovin

    ResponderExcluir
  10. thayse sua linda maravilhosa, eu adorei tanto esse texto haahhah sério, você consegui escrever de uma forma muito inusitada e muita coisa intensa num post aparentemente bobo, sabe?
    É engraçado e irônico a carie estar justamente onde bernardo estava escovando e você repreendeu heuehueheuhe
    e cara, não me fala de carie, morro de medo de ter porque sou super fresca e tenho medo de doer, já agradeci muito à vida por não ter precisado colocar aparelho hahahhaah
    enfim, eu super entendo, antes de dormir eu viajo nas memórias até sei lá quanto e sempre acabo rindo de alguma situação engraçada ou que considero irônica hoje :)
    enfim, eu amei muito esse texto, a srta escreve muito bem, escreva mais. ♥

    ResponderExcluir
  11. Amei o texto!! Ótima analogia.

    Beijos ♥

    Jéssica || Fashion Jacket
    www.fashionjacket.com.br

    ResponderExcluir
  12. Menina, voce me fez lembrar que preciso ir à dentista! Rsrs.

    http://juliamodelodemodelo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Thay, texto sensacional. :) Um fato diferente que nos ensina muita coisa, né?? Por mais textos assim!! ♥ Parabéns mesmo!!!

    Beijos,
    Carol
    www.pequenajornalista.com

    P.S: estava com saudade do seu cantinho!!! :)

    ResponderExcluir


Obrigada por visitar o Brilho de Aluguel!

Deixe seu comentário e eu responderei assim que possível.

Dúvidas, sugestões ou reclamações? Envie um e-mail para blogbrilhodealuguel@gmail.com

 
Brilho de Aluguel © 2010 - 2017 | By Thayse Stein