14/03/2016

Carta à cidade


Ainda me dói quando olho pela janela e te vejo assim, tão linda. Todos os detalhes, tuas paisagens, teu clima completamente imprevisível, teus céus cambiantes. É triste.
Sinto doer ao lembrar do passado, quantas aventuras, uma vida inteira vivendo sem preocupações. Andando nas tuas madrugadas, caminhando sozinha no escuro, correndo pela noite nos ônibus escassos. Visitando amigos aos domingos, velejando pelas tuas ruas solitárias, participando das mais loucas ideias, experimentando sensações novas, esperando durante as longas noites só para ver o sol aparecer cedinho na praia.
Eu estava lá, com tantos outros e às vezes, tão sozinha. Nunca tive medo, nunca tive arrependimentos. Tudo parecia tão simples, tão seguro, tão sem preocupações. Era tudo normal do jeito que era, era apenas por ser e assim vivíamos. Estávamos numa bolha enquanto todo mundo sempre fora um caos? Eu nem percebi que tinhas mudado, que tudo em ti precisava de mais atenção. Mas foi assim, parece que fiquei dormente por uns anos, enquanto tu crescias, mudavas, endurecias.
Na verdade, sei que a culpa não é tua. Estás impotente aqui, condicionada a mudança lenta das geografias. Apesar da tua beleza, teus encantos e magias, não és tu quem pedisse por isso, são os outros. São os meus semelhantes que caminham hipnotizados pra viver junto de ti. E eles vem, aos montes, vem ao mundo nascidos aqui, vem de fora, nascidos em outros cantos. Quem são essas pessoas e por que são assim?
Parece que estão todos adormecidos, seguindo moribundamente pelos caminhos mais fáceis, mais rasos, sem razão, sem futuro, tomando as decisões mais convenientes. Não questionam, não sentem, não oferecem nem um pouco de empatia. Tudo que são capazes de enxergar são os seus próprios corpos, suas próprias necessidades no aqui e no agora.
Foi num susto, num sobressalto - num tempo em que eu começava a desconfiar que nada mais poderia ser como antes - que vivi a dura realidade. Me empurrando contra a parede, me obrigando a enxergar, respingando em mim. Eu não pude fugir. Eu não pude fazer nada, apenas aceitar. Entendi que tudo que vivo agora a teu lado é a impotência.
É triste para mim saber que tenho que te abandonar. Sou muito frágil diante da tua contemporaneidade... De repente o mundo te encontrou e tu perdestes a tua essência. Não vejo saída, não encontro solução. Não sou capaz, não tenho forças para fazer nada por ti. Só quero que saibas, por isso te escrevo, que desejo o melhor pra ti, que não quero pensar nas mágoas. Espero que ainda exista a possibilidade de dias melhores na tua longa jornada. Algumas coisas deram errado, mas eu aprendi, estou nutrida com as experiências para sempre.
Completei muitos ciclos contigo, mas agora só vejo dor e caos nas curvas das tuas perspectivas, atravessando os teus muitos morros que não permitem enxergar o final do caminho. Preciso dizer que, do fundo do meu coração, eu só espero nunca mais te ver. Hoje estou saturada de respirar junto a ti. Se tivermos que nos encontrar, que seja breve e que eu esteja logo de partida. Quero estar ocupada demais para não prestar atenção em nada, quero sentir uma saudade leve e com gosto de sofrimento esquecido.
Quero agradecer, como costumo fazer sempre, agora não poderia ser diferente. Agradeço pelos momentos, pelo aprendizado, por ter me abrigado e me possibilitado tantos encontros. Agradeço por seres fonte natural de tantas coisas incríveis, pelo teu clima chuvoso e temperamental, pelo frio, pela melancolia. Obrigada.

Um grande abraço,



17 comentários:

  1. Não é a toa que se tornou jornalista.
    Escreve de forma linda e simples.
    Beijos, Ana do dia <3

    ResponderExcluir
  2. Thaaaay, você ARRRASSSSSOU!! Eu imaginei cada cena sabe? Peguei aquelas imagens marailhosas de cartão postal de floripa, e fiquei imaginando nelas enquanto lia o texto <3

    Beijos, Love is Colorful

    ResponderExcluir
  3. Thay, preciso dizer que li de forma tão metafórica e senti que foi um texto feito como meu para uma amiga da qual me distanciei... Tocou os fundos dos fundos daquelas cicatrizes que já não eram futucadas há tempos e foi ótimo para que eu fizesse um novo balanceamento em releituras da situação. Adorei também enxergar cada detalhe com a visão da cidade, que realmente foi a intenção transmitida, e de qualquer maneira: palmas! Amei o texto e deixei nos favoritos.

    SEMQUASES.COM

    ResponderExcluir
  4. Lindo, lacrou esse texto.

    http://alinesecretplace.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Parabéns que texto mais lindo, é encantador e tocante cada palavra.
    bjkas
    www.garotafucada.com.br

    ResponderExcluir
  6. Arrasou! ♥


    Beijinhos ♥
    n. // www.fashionjacket.com.br

    ResponderExcluir
  7. Thaaa eu ja imagino o porque dessa carta... rss
    Nova fase amiga. Se joga com tudooo!
    Estaremos aqui por vc nesmo que virtualmente!
    bjos
    kammy
    Comer, Blogar & Amar | Meu Canal YT

    ResponderExcluir
  8. texto muito bem desenvolvido, adorei! você tem o dom para a ''coisa'' haha :D
    Mudanças são difíceis, mas se não nos jogarmos e vê o que acontece, vamos levar para sempre o "poderia ter tentado"...
    beijos :*
    arisecondo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Lacrou ♥

    www.cherryacessorioseafins.com.br

    ResponderExcluir
  10. Adorei a escrita... e trouxe para a minha vida em algumas situações... Lindo

    =*
    Mani Piñeiro
    @Blog_ManiPineiro

    ResponderExcluir
  11. Muito lindo seu texto, parabéns!
    http://marymicucci.com

    ResponderExcluir
  12. OMG , estou morta.
    Que texto maravilhoso , passa uma tremenda emoção ao ler ♥
    Amei de verdade ,você realmente tem muito sucesso , parabéns.
    Beijão
    morenagraviola.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Eu também li de uma maneira metafórica e fiz encaixe com um momento de minha vida.

    O texto ficou lindo! Você escreve muito bem, Thay.

    Beijos

    Poesia em Transe

    ResponderExcluir
  14. que texto lindo, vc escreve msm super bem

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  15. Triste :x quase chorei!!
    Adoro sua escrita...

    www.chaeamor.com

    ResponderExcluir
  16. Que texto lindo e super criativo! Achei muito legal você fazer uma carta de despedida a sua cidade. Boa sorte na nova fase vivendo em uma cidade diferente.
    beijos
    Infinita Feminice

    ResponderExcluir
  17. Ai Thay como você escreve bem! Não sei se já te falei isso antes, mas é a pura verdade. Achei tão metafórico e tão lindo seu texto!

    www.vestindoideias.com

    ResponderExcluir


Obrigada por visitar o Brilho de Aluguel!

Deixe seu comentário e eu responderei assim que possível.

Dúvidas, sugestões ou reclamações? Envie um e-mail para blogbrilhodealuguel@gmail.com

 
Brilho de Aluguel © 2010 - 2017 | By Thayse Stein