25/05/2016

Como levar dinheiro para uma viagem

Olá pessoal, hoje vou contar um pouco da minha experiência em como trazer dinheiro em uma viagem, seja ela de longa duração ou não. Vi que a Thay já tinha mencionado sobre os problemas que tive com o Banco do Brasil em um dos vídeos lá do canal do blog e também em alguns posts por aqui, por isso resolvi fazer um post completo esclarecendo algumas dúvidas, porque sei que muitas pessoas ficam indecisas entre trazer o dinheiro vivo (numa doleira, ou algo assim) ou trazer em um cartão, principalmente pela questão da segurança.
 
Em minha primeira experiência levando uma quantia considerável de dinheiro para o exterior - quando fui para a Argentina, em meu primeiro intercâmbio - decidi  fazer um cartão pré-pago Visa TravelMoney na Confidence, que na época era personalizado para cada tipo de moeda, hoje em dia a Confidence não trabalha mais com Pesos Argentinos nem com cartões individuais, o cartão utilizado agora é um cartão multi moedas onde você pode carregar até seis diferente moedas, dentre elas Euro, Dólar e a Libra.

Os cartões pré-pagos funcionam da seguinte maneira: você pode fazer um em diversas lojas de câmbio, eles funcionam como um cartão de débito e você recarrega com a moeda do país que você irá viajar, em geral a compra do dinheiro no cartão pré-pago sai mais caro do que a compra da moeda em espécie, devido ao Imposto sobre Operações de Crédito (IOF) de 6,38% que esta embutido no valor do câmbio da moeda; por isso você deve sempre ponderar se vale a pena fazer um cartão pré-pago com uma maior segurança, ou comprar o dinheiro em espécie, com um IOF bem mais baixo variando de 0,38 até 1,10% - taxas do Banco do Brasil (BB) e Confidence, respectivamente.
 
 Fonte: Dreamstime

Outra modalidade de cartão pré-pago, diferente da qual as casas de câmbio geralmente oferecem, seria um cartão TravelMoney vinculado a uma conta corrente (vale a pena consultar a disponibilidade do mesmo com o seu banco). Na minha viagem de intercâmbio para Dublin, na Irlanda, fiz a escolha de trazer uma parte do dinheiro em espécie e uma parte em um cartão Visa TravelMoney do BB - hoje, se eu pudesse voltar atrás, não teria feito essa escolha e compraria todo o dinheiro em espécie, já que o dinheiro que trouxe sempre deixei em uma mala com cadeado e nunca tive problema durante a viagem (nos lugares, nas ruas, com os outros moradores das casas que passei). O valor do câmbio para a compra em espécie é mais caro do que no cartão, porém, com as taxa do IOF você acaba pagando mais caro no câmbio, além de ter que pagar R$ 60,00 a cada nova recarga - no fim das contas, sai muito caro ter o TravelMoney, mas a gente sempre pensa que está pagando um pouco a mais para ter uma segurança maior...
 

Um grande problema em comparação aos cartões sem vínculo com banco, é que com esse TravelMoney do BB somente o titular da conta corrente pode fazer a recarga, enquanto que nos demais cartões sem vínculo com conta corrente você pode deixar algumas pessoas autorizadas a realizarem recargas no Brasil - e geralmente os pais do titular do cartão tem permissão automática para realizar estas recargas, caso você queira eleger algum amigo ou outro familiar deve cadastrar essa pessoa no momento da confecção do cartão. O maior problema que passei com o TravelMoney do BB, foi ao realizar um saque aqui em Dublin: a quantia que tentei sacar era muita alta para os limites do caixa eletrônico e a transação não foi efetivada, porém ao checar o meu extrato a quantia havia sido descontada do cartão. A primeira coisa que tentei fazer foi ligar para a Central de Atendimento de pessoas no exterior, que segundo as informações do BB, aceitaria até ligação a cobrar - o que, de fato, não acontece - então, tive que pegar um telefone com crédito emprestado e ligar para o mesmo número, fiquei horas e ninguém conseguia resolver meu problema - sendo que os atendentes dessa linha internacional eram completamente despreparados e não sabiam nem o que era TravelMoney
 
Depois disso, tentei contato pelas redes sociais do banco, no Twitter e Facebook, além de abrir uma reclamação pelo Internet Bank e aí pareceu que finalmente eles iam começar a verificar o problema. Meu tio foi até minha agência no Brasil para ver se eles podiam resolver algo, e a única coisa que fizeram foi colocar a culpa no banco responsável pelo caixa eletrônico que tentei realizar o saque aqui na Irlanda, porém eles não tinham nada a ver com a história; ou seja, eles te vendem um produto mais caro, com a garantia de segurança, bom atendimento, suporte no exterior e blá blá blá... e quando você realmente precisa acionar alguém das centrais de atendimento eles são despreparados e super lerdos; graças a um conhecido da mãe da Thay que trabalha no BB, o problema foi resolvido de maneira mais rápida, e foi verificado que realmente o erro era do BB e foi me pedido as devidas desculpas e tudo mais - mas uma coisa é certa, nunca mais compro esse serviço novamente com eles.
 
 Fonte: Uol

Enfim, o post além de tentar informar um pouco foi um desabafo também. Cada caso é um caso, você deve avaliar o que será melhor para você ao levar dinheiro para uma viagem, com os devidos cuidados é possível, sim, levar grandes quantidade de dinheiro com segurança - doleiras, malas com cadeado etc. Avaliar as taxas de câmbio é sempre importante, além de pesquisar em diversas casas de câmbio, é bom analisar se na quantidade de dinheiro que você irá comprar vale a pena ou não a compra em um cartão pré-pago. Espero que tenham gostado do post e até a próxima.

20 comentários:

  1. Muito obrigada por esse post!!
    Eu farei uma viajem internacional em breve e foi ótima saber um pouco mais sobre como levar o dinheiro. Analisando bem, acho que a melhor opção é levar o dinheiro vivo mesmo né? Gostei muito :)

    http://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Ual, já salvei esse link! ♥
    Adorei o post ♥
    Com carinho,
    Menina Caprichosa

    ResponderExcluir
  3. Nossa, eu usei o travel money também para viajar, mas os meus problemas não foram com o atendimento, mas sim com o fato de que em lugar nenhum da Holanda o meu cartão era aceito! E como toda vez que eu sacava, eu pagava uma taxa, eu gostava mais de usar o cartão mesmo e também não me sentia bem levando dinheiro e tem muitos lugares que só aceitavam cartão... Era um inferno porque meu cartão não passava, não podia pagar com $ vivo e para ter o $ vivo eu pagava taxa. Eu resolvi agora viajar só com dinheiro mesmo e levar meu cartão de crédito, porque dai eu pago só o iof e a anuidade de um cartão que eu uso o ano inteiro e em qualquer lugar :p

    e fiz vários testes em sites de cambio, colocar dinheiro em cartão viagem é bem mais caro do que comprar a moeda, além de ter valor mínimo como tu mencionou.

    espero que ninguém mais caia nessa história :p
    um beijo,
    Foca no Glitter

    ResponderExcluir
  4. Nossa, curti muito o post. Penso em fazer intercâmbio mas também vou pra Disney no final do ano e fiquei com um pouco de dúvida sobre como levar o dinheiro. Mesmo que não seja uma quantia tão alta quanto a que precisamos levar pro intercâmbio.

    Claro que existem casos e casos, mas saber da sua experiência com o Travel Money já deixa a pulguinha atrás da orelha, né?

    Beijos
    A Mente Transborda
    Curta no Facebook

    ResponderExcluir
  5. adorei o post, dicas incríveis, quando eu viajar para fora vou seguir suas dicas, bjos horasnoespelho.com

    ResponderExcluir
  6. Que super dica Filipe, eu sempre ficava na dúvida qual era o melhor.
    Já tinha visto esses cartões, porque quero ir para a Disney. Esse ano eu estava pensando em ir, mas com a alta do dólar e as altas taxas mudei de ideia.. Enfim acho bem mais prático em espécie dependendo do caso.
    Meu pai sempre fala que acha melhor e como ele vai também me sinto mais segura.
    Blog Pam Lepletier

    ResponderExcluir
  7. Ameiiii gente. Dica super valiosa. Beijos

    www.vestidoetenis.com

    ResponderExcluir
  8. Estou planejando uma viagem pra Argentina e gostei de saber dessas dicas, principalmente porque você já esteve lá e sabe como proceder com esse lado, que é que mais nos traz perguntas. Levar ou não em espécie. Muito válido.

    ResponderExcluir
  9. Olha, depois de todos os problemas relatados cheguei a conclusão de que eu levaria dinheiro em espécie. É lógico que não dá pra levar uma quantia pra durar até o fim de uma viagem longa, mas acho mais válido usar cartão de crédito pra compras e o dinheiro pra situações cotidianas. :/
    Ainda bem que no fim, você conseguiu resolver o problema.

    Chiquereza

    ResponderExcluir
  10. Filipe ajudou e muito! Sempre tive o sonho de viajar para outro país mas sempre me pergunto como levar dinheiro, o que fazer e como fazer :s
    não sabia nem 5% de tudo isso. Obrigado pela informação =]
    Valeu a pena esperar

    ResponderExcluir
  11. Ótimas dicas, Thayse!
    O cartão pré-pago em euros é bem legal mesmo, também usei na minha última viagem!
    bjs
    Patty Lye
    www.PattyLye.com.br

    ResponderExcluir
  12. eu sempre levo dinheiro vivo e meu cartao de credito normal, mas mts meninas optam por esse cartao pre pago que parece uma boa tbm

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  13. Fiz um cartão pré pago na agência de câmbio Ele não é vinculado a nenhuma conta minha e nem tem meu nome no cartão. Mas tem uma coisa chata que é toda vez que quiser colocar mais dinheiro tenho que transferir para uma conta do banco e aí o banco transfere para esse meu cartão, não posso transferir direto para o meu cartão.

    Achei o post ótimo! Post de utilidade pública para viajantes haha
    Muito bom =D

    Blog do Sofá
    do Sofá

    ResponderExcluir
  14. Ótimo post, Filipe. Adorei mesmo!
    Sempre que eu viajo, cogito levar uma parte do dinheiro em cartões pré pago ou travel money, mas por pensar em tantas coisas negativas que ele tra ou pode trazer (iof, dificuldade de transferência, chance do cartão não ser aceito ou chance de perdê-lo), acabo optando por somente levar o dinheiro em espécie mesmo. E isso é possível sim! Tomando os devidos cuidados, o dinheiro fica muito bem guardadinho :D

    Com amor,
    Steph • Não é Berlim

    ResponderExcluir
  15. Infelizmente os meios seguros, via instituições oficiais, falham, e temos que nos expor aos riscos. O que deveria representar uma segurança acaba se configurando numa dor de cabeça imensa. Ficamos a mercê da inoperância desses órgãos e expostos a riscos. Gostei do post e a partir do que foi exposto é necessário fazer uma reflexão sobre como nos posicionarmos frente as adversidades e do nosso papel no mundo. Parabéns Filipe, vc deixou muitos elementos para reflexão no seu post. Façamos nossa parte.

    ResponderExcluir
  16. completíssimo filipe! o negócio é que a gente meio que sai perdendo com juros/taxas de todas as formas né? só nos resta ver como perdemos menos dinheiro :(( mas ja fiz uso de cartões pre-pagos e gostei da experiencia tbm!! beijos, Ja fomos legais

    ResponderExcluir
  17. Fazer programas é uma ótima opção kkkkkkkkk
    www.raposalaranja.com.br

    ResponderExcluir


Obrigada por visitar o Brilho de Aluguel!

Os comentários estão sendo moderados, mas responderemos assim que possível.

Dúvidas, sugestões ou reclamações? Envie um e-mail para blogbrilhodealuguel@gmail.com

 
Brilho de Aluguel © 2010 - 2017 | By Thayse Stein