06/04/2018

Vale a pena comprar o box Desventuras em Série?

Oi, gente! Tudo bem? Hoje vou falar um pouco mais sobre meu box de livros das Desventuras em Série, que já apareceu nesse e nesse vídeo. Quem acompanha o blog há mais tempo já deve ter notado que eu faço apenas resenhas de livros mais "profissionais", digamos assim. Os posts que tenho publicado no blog sobre isso, geralmente são sobre Moda ou Jornalismo, minhas duas formações. De qualquer maneira, resolvi falar do box em si e de maneira mais geral, não tão voltado para um review de cada livro.
 
A Series of Unfortunate Events ou Desventuras em Série, é uma saga de livros escrita por Lemony Snicket, pseudônimo do autor estadunidense Daniel Handler, e ilustrada por Brett Helquist. Provavelmente você já ouviu falar da trama, que tem um filme de mesmo nome, lançado em 2004 (tendo o Jim Carrey sensacional como Conde Olaf) e também a série de TV da Netflix, lançada em 2017. Mas caso nunca tenha ouvido falar, a história narra as aventuras dos irmãos Baudelaire, três crianças que ficam órfãs após um terrível incêndio.
Os livros traduzidos são da editora Seguinte. São muito bonitos e bem feitos, apesar de simples. Gosto muito do modelo das capas e das cores, com essa pegada vintage. O box ainda tem o plus das ilustrações extras nas caixas, representando momentos da história dos Baudelaire e o terrível vilão, o Conde Olaf. Helquist capta bem a essência super creepy da narrativa nos seus traços e traz muita autenticidade para a obra. O único defeito é que nesta edição que comprei, mesmo dizendo ter uma revisão recente, ela não está atualizada segundo as novas normas da língua portuguesa, então ainda tem acentuação em desuso, o que pode dar um pouco de aflição - ou saudades, no caso do trema.
Me dá uma certa tristeza comprar livros pra apenas eu ler e deixá-los lá nas estantes pegando poeira. Eu gosto de comprar livros quando sei que eles vão passar por muitas pessoas e sempre fui dessas que empresta livros pra todos os amigos. Acredito que mais pessoas ainda vão ler esse box aqui em casa e isso me dá uma paz de espírito, porque apesar dele ser lindo e ficar ótimo pra decorar, é bom saber que mais pessoas vão estar em contato com essas histórias tão bem escritas e criativas.
 
Todos os livros são escritos de uma maneira muito peculiar e seguem a mesma linha até o fim: tem uma pegada meio mórbida e misteriosa, não tenta colocar floreios mesmo se tratando de uma ficção infantojuvenil - a todo momento a gente tem aquele "choque de realidade" causado pela "vida como ela é", tem recursos gráficos muito interessantes para quando a gente tá totalmente imerso na história, uns delírios do autor, explica constantemente o significado das palavras e expressões usadas (de uma maneira engraçada e bem inserida no contexto), tem muita ironia, ressalta a todo momento as principais qualidades de cada criança (Violet, 14, é uma inventora; Klaus, 12, é um leitor voraz com boa memória e Sunny é uma bebê que ama morder e depois descobre seus dotes culinários). O pano de fundo é todo cheio de tramas que se interligam e que sempre deixam algo pra descobrir, o que faz com que a gente não queira parar de ler a história!
A história ainda acompanha a evolução e o amadurecimento dos personagens, faz a gente se sentir extremamente ligado a eles, se identificando em diversos momentos. O narrador, que está contando tudo como se tivesse feito uma pesquisa sobre a vida dos irmãos, muitas vezes se mostra envolvido na trama - o livro é sempre dedicado a sua amada que já faleceu e ao final, ele escreve cartas pro editor, dando sinais de que está sendo perseguido. Além disso, os livros fazem várias referências a outras obras literárias, aspectos culturais da vida em sociedade, faz vários questionamentos e levanta discussões sobre as atitudes humanas (principalmente sobre o fato de que quando nos calamos diante de situações perversas, permitimos que elas continuem acontecendo) e sobre ética.
Uma coisa interessante que a gente vai percebendo e que recentemente li sobre a história, é que parece que ela é ambientada em uma versão alternativa e "atemporal" do mundo, com uma certa mistura do século XIX com a década de 1930, mas com conhecimento científico contemporâneo. Um exemplo disso pode ser visto em O Hospital Hostil, onde os Baudelaire enviam uma mensagem em código morse por meio de um telégrafo, enquanto que no Armazém Geral Última Chance há cabos de fibra óptica à venda. Em Inferno no Colégio Interno, um computador avançado é mencionado. As localidades reais raramente são colocadas nos livros, embora algumas vezes apareçam, como em A Sala dos Répteis, onde uma viagem ao Peru é planejada; há também referências a uma nobreza ficcional de regiões reais da América do Norte (Duquesa de Winnipeg e o Rei do Arizona).
Eu só vi um episódio da série da Netflix, mas o filme já assisti umas duzentas vezes e sou apaixonada. O que eu mais gosto na trama é essa atmosfera meio Tim Burton, sombria (escuridão, corvos, noites sem dormir, perigo iminente de morte, inserção de crianças no mundo adulto - sem muitas opções de brinquedos/jogos - e com isso a perda da inocência, tentando decifrar as mentiras e atos pérfidos das pessoas, além de vermos sempre como a maioria dos adultos os enxergam como adultos e responsáveis também, e não como crianças), cheia de desgraças, rumos malucos e inesperados, porém com personagens fortes e marcantes.
 
Poder ter tantas histórias com personagens tão interessantes é um presente indescritível... Terminei de ler os treze livros (Mau Começo, A Sala dos Répteis, O Lago das Sanguessugas, Serraria Baixo-Astral, Inferno no Colégio Interno, O Elevador Ersatz, A Cidade Sinistra dos Corvos, O Hospital Hostil, O Espetáculo Carnívoro, O Escorregador de Gelo, A Gruta Gorgônea, O Último Perigo, O Fim) em menos de um mês! Eles vão aumentando de complexidade e de tamanho gradativamente, o que é uma experiência instigante.
Por fim, devo dizer que se você tiver a oportunidade, compre sim essa maravilha ❤ Seja pra você ou pra dar de presente... Caiu perfeitamente no meu gosto e eu amei ter lido cada um dos exemplares. É uma leitura diferente, criativa, mas nada super pesado. Ótimo pra viagens, pra passar o tempo, pras férias, pra antes de dormir, alimenta a alma. Eu consegui um bom desconto pois comprei o box na Black Friday do Submarino, ano passado, com frete grátis e por menos de R$11 cada livro! Espero que tenham gostado da dica. Beijos!

5 comentários:

  1. Parece ser bem interessante!

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu tinha alguns, quando era pequena! Sempre adorei esta série!:)

    TheNotSoGirlyGirl // Instagram // Facebook

    ResponderExcluir
  3. Eu amo me apaixonei pelos Boudelaire quando assisti o filme Desventuras em Série, que aliás, acredito que deveria ter uma continuação. Mas, ainda não assisti a série por que quero ler os livros antes, eu tenho o Mau Começo e A Sala dos Répteis, assim que possível quero ler os outros livros.
    E essa promoção que você conseguiu foi ótima heim!
    Beijo, www.apenasleiteepimenta.com.br

    ResponderExcluir
  4. Eu amo esse filme, sério! Assistia muito quando era criança haha. Os livros nunca cheguei a ler, mas achei interessante, é uma boa leitura. Você pagou bem barato na Black Friday.
    Beijos,
    #fiquerosa

    Fique Rosa | Meu Canal YT

    ResponderExcluir
  5. Essa é uma série que eu já quis muito ler, mas acho que hoje em dia nem tanto..
    Gostei muito do filme com o Jim Carrey, mas nem tanto da série da Netflix.
    Acho que para mim não valeria tanto a pena comprar o box. A não ser que eu lesse pelos menos os dois primeiros livros e gostasse muito...

    beeijos!
    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir


Obrigada por visitar o Brilho de Aluguel!

Os comentários estão sendo moderados, mas responderemos assim que possível.

Dúvidas, sugestões ou reclamações? Envie um e-mail para blogbrilhodealuguel@gmail.com

 
Brilho de Aluguel © 2010 - 2018 | By Thayse Stein